Av. Paulista, 1313 - 8º andar - conjunto 801 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Veja como é ir de trem até o Aeroporto de Guarulhos

15.05.2018 | | Notícias de Mercado

Prevista para iniciar a operação comercial em junho, a nova Linha 13-Jade da CPTM está funcionando todos os dias da semana das 10 horas às 15 horas em operação assistida sem a cobrança de passagem. Enquanto termina os testes com sistemas e correções da obra, a empresa disponibilizou dois trens para percorrer os 8,8 km de extensão (e não 12,2 km como dito pelo governo) e numa viagem feita a no máximo 50 km/h em alguns trechos. Foi nesse cenário que o site decidiu medir uma longa viagem entre a região de Santo Amaro, na Zonal Sul de São Paulo, até o Aeroporto de Guarulhos, ligação sempre divulgada pelo governo desde o início do projeto.

A experiência, em que pese os aspectos que ainda tornam o trajeto um tanto quanto irregular, foi positiva, porém, há enorme margem para melhorar o serviço, algo que se espera da CPTM à medida que a linha ganhe quilometragem. No total, foram percorridos pela reportagem cerca de 45 km em 2 horas, 8 minutos e 9 segundos, da estação Adolfo Pinheiro ao Terminal 2 do aeroporto. Para isso foi preciso passar por seis linhas (três do Metrô e três da CPTM) e ainda utilizar o ônibus da concessionária GRU Airport para chegar ao aeroporto.

O exemplo é extremo afinal a região de Santo Amaro logo estará ligada pela Linha 5-Lilás e o tempo para chegar ao centro da cidade será reduzido significativamente. Assim como o serviço das linhas 12 e 13 ainda está longe do ideal com as obras e interrupções encontradas pelo caminho. Por isso é perfeitamente possível crer que a mesma viagem poderá ser realizada entre uma 1h30 e 1h40, o que é relativamente rápido tendo em conta que serão necessárias quatro baldeações, além de trajeto por ônibus. Seria melhor, é claro, se a estação ficasse mais próxima dos terminais 2 e 3 ou se a Linha 13 pudesse efetivamente ir até Tatuapé o Brás e não apenas por um serviço especial.

Fato é que apesar disso, trata-se de uma opção extremamente barata: com apenas R$ 4,00 (em valores de maio de 2018) é possível chegar de centenas de estações na região metropolitana até o maior aeroporto do país. Acompanhe como foi nossa viagem:

Linha 5-Lilás: Adolfo Pinheiro a Santo Amaro – 1,9 km em 3 minutos e 45 segundos

Chegamos à estação às 8h53 e embarcamos num trem sentido Capão Redondo quase 4 minutos depois. A viagem de apenas duas estações ocorreu sem imprevistos. Encontramos a estação relativamente calma e logo que chegamos à plataforma da Linha 9 da CPTM o trem já chegava vazio.

Linha 9-Esmeralda: Santo Amaro a Pinheiros – 11,8 km em 17 minutos e 20 segundos

Foi a viagem mais longa e demorada, passando por sete estações, mas novamente tudo sem atrasos e com o trem com lotação média. Foi quando nos deparamos com a baldeação mais extensa: nada menos que 6 minutos e 36 segundos para chegar à plataforma da Linha 4-Amarela.

Linha 4-Amarela: Pinheiros a República – 6,8 km em 12 minutos

Agora que ganhou duas novas estações, a viagem pela Linha 4 perdeu o aspecto de “trem expresso” de antes, mas o tempo de viagem segue veloz, apenas 12 minutos até República. Foi o trajeto mais cheio, porém, sem impedir que um passageiro levasse uma mala de grande porte consigo.

Linha 3-Vermelha: República a Tatuapé – 7,2 km em 11 minutos e 20 segundos

Mais lotada linha da rede, a 3-Vermelha é veloz quando não tem problemas. Além disso, estava vazia sentido bairro, o que nem sempre é comum. Viajamos num trem da Frota G (Alstom), um dos mais confortáveis do Metrô. Até aqui a viagem havia levado cerca de uma hora apenas, mesmo com três baldeações tomando quase 15 minutos do nosso tempo.

Linha 12-Safira: Tatuapé a Engenheiro Goulart – 9 km em 17 minutos e 50 segundos

Como o site comentou no dia da inauguração da Linha 13, o gargalo para tornar o serviço eficiente passava justamente pelo uso da Linha 12 para chegar numa região mais bem servida de opções. Pois bem, como chegamos às 9h55 em Tatuapé foi preciso esperar alguns minutos pela abertura da baldeação com a CPTM, que só funciona gratuitamente entre 10 horas e 17 horas.

Vencido esse obstáculo, logo que descemos para a plataforma um trem da Linha 12 já se encontrava lá e ficou parado por alguns minutos até seguir viagem. E foi aí que o tempo ganho foi se perdendo pelo caminho. O trajeto de 9 km e sem paradas levou quase 18 minutos, ou seja, uma média de velocidade de apenas 30 km/h. Como exemplo, a Linha 4 teve média de 34 km/h mas parando em seis estações no caminho.

O problema visto na linha Safira teve a ver com manutenção na via mas também obras da Linha 13 perto da estação Engenheiro Goulart. Ou seja, são problemas pontuais que logo sumirão. Em compensação, viajamos num trem da Série 2070 muito confortável e bem conservado, embora a maior parte do serviço esteja sendo atendido pelo Série 2000, em estado mais precário. O intervalo da linha também estava relativamente baixo para o horário.

Linha 13-Jade: Engenheiro Goulart a Aeroporto Guarulhos – 8,8 km em 13 minutos e 40 segundos

Daqui em diante, é fato, não se pode cobrar celeridade ainda estando num período de testes. A baldeação é rápida, mas havia apenas um trem fazendo o percurso – o outro estava parado na estação enquanto funcionários faziam trabalhos na via sentido centro. O trem chegou à plataforma às 10h29, 1 hora e 36 minutos após nossa jornada ter começado. A partida levou 2 minutos e meio para ser iniciada após a abertura das portas.

Na chegada um bom volume de passageiros desembarcou, alguns com malas. Já na nossa viagem cerca de 100 pessoas embarcaram e a surpresa é que pelo menos 10 estava com malas grandes, além de funcionários do aeroporto. Sem o sistema de sinalização em funcionamento pleno, o trem da Série 9500 seguiu em velocidade mediana, com alguns picos de 50 km/h, mas paradas próximas ao viaduto estaiado. Tempo de viagem de quase 14 minutos, mas é possível crer que ele será reduzido pela metade quando estiver na operação comercial.

Detalhe que a CPTM não esclareceu é que a viagem entre Eng. Goulart e Aeroporto Guarulhos é de menos de 9 km medidos no Google Earth e não de 12,2 km, número que certamente inclui trechos não utilizados da via (um pouco depois do aeroporto e também após Goulart). No caminho pouca gente em Guarulhos CECAP assim como desembarcando no sentido do bairro.

Seguimos o grupo que ia para o aeroporto e, depois de quase 9 minutos entre caminhar e esperar a bordo do ônibus, saímos enfim. A GRU Airport separou os passageiros em dois ônibus, um que vai até o Terminal 1, ao lado, e outro para os terminais 2 e 3 a fim de facilitar a distribuição mas o que se viu a bordo foram usuários perdidos e irritados. Um senhor reclamava da Linha 13 ainda estar em operação parcial e que teve de esperar muito para chegar até lá. Já duas senhoras que haviam chegado do exterior pela companhia LATAM acabaram pegando o ônibus errado e foram parar na estação em vez de embarcar sentido o Aeroporto de Congonhas onde pegariam uma conexão.

Foram seis minutos e 20 segundos até o Terminal 2, não sem que o ônibus apresentasse falhas reclamadas pelo motorista. No total, como dissemos, 2 horas e 8 minutos de viagem, um tanto cansativa, porém, barata e possível. No retorno, já fora do horário de operação, fomos de Guarulhos até Tatuapé no ônibus 257 da EMTU. O mesmo trajeto levou 40 minutos entre a espera no ponto e o desembarque ao lado da estação.

Potencial a ser explorado

Isso faz crer que as linhas 12 e 13, numa operação mais aprimorada, podem levar de Tatuapé até o Terminal 2 do aeroporto entre 35 a 40 minutos, algo semelhante ao ônibus. Por outro lado, nossa viagem com ele transcorreu sem trânsito algum, algo comum na região. Imagina-se que com isso ela possa levar mais de uma hora e ainda com o pagamento de uma tarifa hoje de R$ 6,15.

Se nosso teste tivesse começado da estação Paulista da Linha 4 teria levado algo como 1 hora e 25 minutos, tempo que poderia ser reduzido para no máximo uma hora, o que mostra que sim a Linha 13 tem potencial para absorver parte da demanda da região seja ela de usuários do transporte aéreo, moradores ou funcionários.

Fonte: Metrô CPTM
Data: 15/05/2018