Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Comissão interestadual vai acompanhar implantação do trem bala que ligará Rio e São Paulo

31.07.2007 | | ABIFER News

O secretário de Transportes do Estado do Rio, Julio Lopes, e o secretário de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, José Luiz Portela, anunciaram nesta segunda-feira (30) a criação de uma comissão interestadual envolvendo técnicos das duas secretarias para acompanhar, passo a passo, o desenvolvimento do projeto do trem bala ligando as duas cidades. Uma das principais funções da comissão será avaliar o impacto que o trem de alta velocidade trará para a rotina, a economia e a infra-estrutura das duas cidades. A criação da comissão interestadual será oficializada pelo governador Sérgio Cabral no dia 29 de agosto, no Palácio Bandeirantes, sede do governo paulista. Na ocasião, Cabral e José Serra vão assinar um termo de compromisso estabelecendo a parceria nos estudos para o projeto. A expectativa da União é licitar o trem bala até, no máximo, o início de 2008. Com a previsão de sete anos para a execução da obra, em 2015, cariocas e paulistas poderão ir de uma cidade a outra em apenas uma hora e meia. Segundo Lopes, a parceria entre os dois estados é muito importante, pois muda o enfoque de uma política, existente anteriormente, de rivalidade e poucas parcerias. “ Antigamente o Rio de Janeiro via São Paulo como um adversário nos negócios e existia uma rivalidade desnecessária. O governador Sérgio Cabral acredita que os dois estados podem e devem ser parceiros, trocando experiências e se fortalecendo mutuamente. O trem bala vai mudar radicalmente a realidade das duas capitais. Por isso, é fundamental que acompanhemos todos os pontos relativos ao empreendimento. Todas as nossas propostas, que levarão em consideração os interesses dos dois estados, serão apresentadas ao Governo Federal. Trabalhando juntos poderemos racionalizar os investimentos e ganhar em estrutura“, afirmou Julio Lopes. Outro assunto discutido entre os secretários foi o subsídio da tarifa de energia elétrica para os transportes públicos, conhecida como energia de tração. O secretário de Transportes do Rio lembrou que nos horários de maior movimento – os chamados horários de “pico“ – o transporte ferroviário é muito penalizado pelo uso da energia. Por esse motivo, ele acredita que é necessário buscar o quanto antes uma solução para o problema. “ Até 1998 havia um subsídio na tarifa de tração, mas isso acabou. Após o período do “apagão“ passou-se a penalizar o horário de pico, que é exatamente o horário em que ocorre o maior volume de transporte de passageiros. Na SuperVia, nós fizemos um equacionamento do problema junto à Light, mas a situação ainda é grave. À medida em que vamos colocando novos trens em circulação o custo operacional aumenta muito “, afirmou o secretário. Os secretários de Transporte do Rio e de São Paulo também visitaram as obras do Metrô Ipanema. Os dois secretários estudam a possibilidade de comprar novos carros de metrô e trens em conjunto, de forma a diminuir os custos.