Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Criciúma Terminal Intermodal é o primeiro Redex Multimodal do País

10.06.2006 | | Não categorizado

O Criciúma Terminal Intermodal acaba de receber autorização para operar como Unidade Redex – Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação, contando com opções para o transporte por via rodoviária e ferroviária dos produtos destinados aos portos regionais. É o primeiro Redex Multimodal homologado no País, sendo atendido pela Ferrovia Tereza Cristina até o Terminal de Contêineres dentro do Porto de Imbituba. O diretor da empresa, Alexandre Adam Borba, destaca um dos grandes benefícios trazidos pela nova opção do Terminal: “Será um grande facilitador para o pólo exportador ao oferecer tarifas e estrutura operacional competitivas”. Com 1.500 m² de área coberta, o Criciúma Terminal Intermodal possui localização estratégica e está apto a atender empresas exportadoras do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A 260 km de Porto Alegre, com acesso à BR-101, ao Porto de Imbituba e integrado à Ferrovia Tereza Cristina, o local oferece serviços de recepção de carga, armazenagem, separação de lotes, estufagem de contêineres, pesação da carga, monitoramento, transporte ferroviário, transporte rodoviário, controle de estoque e monitoramento 24 horas. Além do acesso direto ao Porto de Imbituba por via férrea, o Terminal ainda possui estrutura facilitadora nos Portos de Itajaí e São Francisco do Sul. Investindo também na logística de comunicação, o empreendimento conta com sistema de controle informatizado que oferece aos usuários total supervisão das cargas, por meio de um tracking system disponibilizado pela internet. O Criciúma Terminal Intermodal iniciou suas atividades em janeiro deste ano com o objetivo de se tornar um instrumento de apoio ao Porto de Imbituba na angariação de cargas oriundas tanto da região sul catarinense, como do Rio Grande do Sul. “Entendemos que a área de abrangência do Porto de Imbituba não se limita apenas ao Estado de Santa Catarina, levando-se em conta principalmente o comparativo das distâncias entre os principais pólos produtores do Rio Grande do Sul e o Porto de Rio Grande, contra a distância até o Porto de Imbituba”, destaca Borba.