Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Em 10 anos, empresas investiram R$ 10 bilhões

30.05.2006 | | ABIFER News

O capital investido no setor nos últimos 10 anos, cerca de R$ 10 bilhões, elevou consideravelmente a capacidade operacional das ferrovias. Segundo o estudo “Dez anos de privatização“, desde 1996 a produção aumentou 72%, de 128 bilhões para 221 bilhões de TKU. Além disso, conseguiu reduzir em 58% o índice de acidentes. Cerca de 72% dos R$ 10 bilhões investidos no setor vieram de 4 concessionárias: Vitória a Minas e Carajás, da Vale do Rio Doce, FCA e MRS. Com a ALL, esse porcentual atinge 91,6%. Para este ano, a expectativa é que as concessionárias invistam R$ 2,3 bilhões, o que aumentará a produção entre 9% e 11%, para 245 bilhões de TKU. Até 2008, serão cerca de R$ 7,1 bilhões de investimentos no setor, calcula a Associação Nacional de Transportadores Ferroviários (ANTF). Hoje – com a compra da Brasil Ferrovias pela ALL – os grandes nomes do setor ferroviário são Vale do Rio Doce, CSN e GP Investimentos. A Vale é dona das ferrovias Vitória a Minas (905 km), Carajás (892 km) e Ferrovia Centro-Atlântica (8.023 km), que opera a mais extensa malha ferroviária brasileira, ligando os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, Sergipe e Bahia, além do Distrito Federal. Juntas, essas concessionárias correspondem a mais de 67% do volume total transportado no Brasil. A Vale também tem participação na MRS Logística, cujo principal acionista é a CSN. A Siderúrgica Nacional é dona também da Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN), cuja malha é de 4.238 km e transporta 810 milhões de TKU. As 3 empresas (ALL, Vale e CSN) controlam 9 das 11 concessionárias existentes no País. Apesar disso, o diretor da ANTF Rodrigo Vilaça afirma que o setor ferroviário brasileiro não é concentrado. “As grandes ferrovias no mundo têm malhas superiores a 40 mil km. Isso proporciona melhora de escala.“