Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abife[email protected]
pt-bren

Anglo American e governo de Minas Gerais fazem parceria para investimentos de R$ 4,4 bi

11.11.2021 | | Notícias do Mercado

Fonte: Valor Econômico
Data: 09/11/2021

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), assinou em Londres um acordo com a Anglo American que contempla investimentos de R$ 4,4 bilhões até 2025.

O objetivo do plano de investimentos é dar apoio ao sistema Minas-Rio, incluindo melhorias tecnológicas, obras civis e trabalhos preparatórios para futuras expansões.

“Estamos fazendo um trabalho para que Minas Gerais venha ser um Estado que produz de forma sustentável. Isso que vai abrir mercados e vai nos dar tranquilidade em relação ao futuro”, afirmou o governador em comunicado.

A Anglo American apresentou seu plano de mineração sustentável, que em Minas Gerais inclui investimentos em conservação de áreas verdes, parcerias para melhorias nos sistemas de educação e saúde, medidas de eficiência energética e geração de energia solar, entre outras ações.

Mineração sustentável

O governo de Minas Gerais também anunciou a assinatura de um protocolo de intenção entre a New Steel Steel, da Vale, e a Agência de Promoção de Investimentos e Comércio Exterior de Minas (Indi), com previsão de investimentos de R$ 4,4 bilhões. Os recursos serão aplicados na implantação de um processo que reduz o impacto ambiental da atividade e prolonga a vida útil das minas.

A chamada “tecnologia de concentração de minério a seco” será aplicada em três plantas da Vale: as minas de Fábrica, em Congonhas; Fazendão, em Mariana; e Vargem Grande.

Segundo informou a Vale, já está em construção a planta de concentração magnética de minérios de baixo teor de ferro, sem uso de água, na mina Vargem Grande, com startup previsto para 2023. As outras plantas em Minas Gerais estão em fase de projeto e aprovação para licenciamento ambiental.

“É importante destacar que, atualmente, cerca de 70% da produção de minério de ferro da Vale ocorre por processamento a seco. Em 2015, esse tratamento a seco era de 40%”, acrescentou a Vale.