Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Viagens em metrô/trem em SP crescem 53% em 10 anos

14.12.2018 | | Uncategorized

O sistema de transporte sobre trilhos apresentou alta de 53% no número de viagens diárias na Grande São Paulo entre 2007 e 2017, segundo dados da Pesquisa Origem Destino (OD) apresentados ontem (quarta, dia 12). Segundo o gerente de Planejamento, Integração e Viabilidade do Transporte Metropolitano, Luiz Antonio Cortez Ferreira, a alta está coerente com o esforço de expansão da rede ao longo destes dez anos.

As viagens diárias feitas utilizando metrô e trem como modo principal chegaram a 3,4 milhões e 1,3 milhão, respectivamente, em 2017. Na apuração de 2007, eram 2,2 milhões de viagens diárias de metrô e 800 mil nos trens (crescimento de 55% em ambos). No mesmo período, os ônibus apresentaram queda de 5%, de 9 milhões de viagens/dia para 8,6 milhões em 2017.

“Desde que o sistema Metrô/CPTM foi integrado de forma tarfiária e depois, com o passar dos anos, com a melhoria radical dos serviços da CPTM, nós passamos a ter uma rede de mais de 300 km de metrô e trens urbanos. Temos que considerar uma rede única, porque de fato é isso”.

O gerente destacou ainda como “façanha” o fato de as viagens motorizadas via transporte coletivo estarem com desempenho estável e à frente das viagens individuais (54,5% contra 45,8%). Apesar de ter crescido [a alta em relação às viagens individuais foi de 15% no período, representando 12,9 milhões de viagens/dia], a alta poderia ter sido maior visto que o crescimento das viagens via automóvel é uma tendência mundial, explicou Ferreira.

Os serviços apelidos de “táxi não convencional” – viagens requisitadas via aplicativos de transporte – foram levantados na pesquisa domiciliar pela primeira vez nesta edição, por se tratar de um novo meio de transporte. Eles promoveram 362,4 mil viagens/dia ou 76% das viagens feitas apenas por táxis, que tiveram no geral alta de 424%. De acordo com Ferreira, eles não são concorrentes do Metrô SP e da CPTM, pelo contrário. “É uma rede complementar e que torna o nosso sistema atrativo para os usuários do automóvel”, declarou ele.

A expectativa para os próximos anos, segundo o gerente, é passar dos 100 km de metrô e de cerca de 400 km ou 500 km na rede estrutural de transportes metropolitanos.

A pesquisa Oridem Destino, feita a cada dez anos pelo Metrô desde 1967, está em sua sexta edição. Foram 2.400 pessoas envolvidas nos trabalhos de pesquisa. No total, foram realizadas 156 mil entrevistas e 160 instituições estiveram envolvidas no trabalho.

 

Fonte: Revista Ferroviária

Data: 13/12/2018