Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Esteira de minérios da MRS terá custo total de R$ 120 milhões

24.03.2006 | | ABIFER News

O executivo disse que a esteira liberará as rodovias do tráfego pesado de caminhões e permitirá, sobre trilhos, o transporte de cargas com valor agregado,Uma comissão técnica da MRS Logística – concessionária de transporte de cargas sobre trilhos – apresentou aos vereadores de Santo André, em audiência pública, o projeto de TCLD (Transportador de Correia de Longa Distância), exclusiva para o deslocamento de minério de ferro para a Cosipa (Companhia Siderúrgica Paulista), em Cubatão. Com 18 quilômetros de extensão e custo de implementação de R$ 120 milhões, a esteira partirá do centro de operação no Grande ABC até o pátio da siderúrgica. Para agilizar o processo de aprovação da correia, que promete liberar até 80% da capacidade de transporte sobre os trilhos utilizadas hoje pela movimentação de minério de ferro, os engenheiros terão de participar de audiências também na Vila de Paranapiacaba (04/04) e Cubatão (11/04). O principal objetivo da MRS é descrever o relatório de impacto ambiental e apresentar às autoridades e população as compensações que a empresa realizará na região – exigências da Secretaria Estadual de Meio Ambiente. A transformação da Vila de Paranapiacaba no “maior museu a céu aberto do país” é uma das promessas. Desenvolvimento – O gerente-geral do projeto, Mário Eiras, destacou a implementação da correia como ação fundamental para a logística do país atualmente. “O reaquecimento das exportações exige crescimento constante da capacidade de transporte de cargas.” Além disso, o executivo disse que a esteira liberará as rodovias do tráfego pesado de caminhões e permitirá, sobre trilhos, o transporte de cargas com valor agregado. O secretário-adjunto de Desenvolvimento Urbano, Fernando Bruno, ressaltou a importância do transporte de cargas com valor agregado como forma de revitalização do Eixo Tamanduatehy. “Temos uma grande área desocupada que poderá receber investimentos de empresas de operação logística. As mercadorias embarcariam nos trens da MRS aqui, em Santo André”, previu Bruno.