Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Fusão de empresas cria a Greenbrier Maxion

22.01.2018 | | Não categorizado

Vagão protótipo da Greenbrier Maxion. Foto: Divulgação

No final do ano passado, a AmstedMaxion e a Greenbrier Companies se fundiram para criar uma nova empresa para a fabricação de vagões no Brasil, a Greenbrier Maxion, na cidade de Hortolândia, no interior de São Paulo. A negociação teve aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

“As empresas já são parceiras nos EUA de longa data e ampliaram essa experiência para o Brasil da mesma forma. A marca Greenbrier Maxion, que já nasce com a experiência de liderança de 74 anos da AmstedMaxion no mercado ferroviário brasileiro, somada à expertise e tecnologia em projetos de vagões da Greenbrier Companies, e em componentes da Amsted Rail, torna-se a solução completa e integrada para o segmento ferroviário na América do Sul, com penetração e atuação globais”, reforça o presidente Eduardo Scolari.

Embora essa parceria tenha se firmado há pouco mais de um ano, a mudança já havia sido pensada em 2015. “Foi o início da participação da Greenbrier Companies no capital social da AmstedMaxion, na unidade de Hortolândia (SP). Em maio de 2016, a Greenbrier Companies consolidou a participação na AmstedMaxion tornando-se sócia majoritária e mudando a marca para Greenbrier Maxion. Nesta época, a Greenbrier Companies também passou a ser sócia na unidade de Cruzeiro”, destacou Scolari.

Para Scolari, a fusão trouxe um novo alicerce tecnológico, além de alterações administrativas. “A entrada da norte-americana Greenbrier Companies em nossa participação societária causou mudanças como reestruturação, reengenharia, novos processos, produtos, serviços e designers para nossos vagões.
Como resultado, destacamos o reconhecimento de nossos clientes quanto a qualidade de nossos produtos e os prêmios recebidos ao longo dos últimos anos, como os de ‘Melhor Fabricante de Material Rodante’, na categoria vagões, pela Revista Ferroviária, e o ‘Troféu Governador do Estado’, prêmio paulista pela Qualidade de Gestão”.

Apesar das novas perspectivas, a produção de veículos não sofreu impactos. “Não tivemos alteração na capacidade de produção de vagões, já que nossa capacidade de 10.000 vagões/ano atende à demanda do mercado. Mas, um dos principais pontos será a construção de novos produtos”, afirma o presidente.

Utilizando tecnologia de ponta, a Greenbrier Maxion desenvolve e produz vagões com projetos customizados atendendo as necessidades de cada cliente, de acordo com a carga a ser transportada e características de cada ferrovia. “Temos vagões gôndola para o transporte de minério de ferro, com destaque para o vagão GDU, o vagão de maior capacidade de transporte produzido pela empresa e o primeiro direcionado ao mercado brasileiro com truque de 7”x12”; outras inovações como os vagões Hopper, com alta tecnologia e de qualidade mundialmente reconhecida para o transporte de grãos, açúcar, soja, farelo, entre outros”, complementa.

Planta de Cruzeiro

A participação da Greenbrier é maior em Hortolândia, porém a planta de Cruzeiro, também no interior de São Paulo, possui participação da Greenbrier, mas com um percentual menor. Com mais de quatro décadas de atuação no mercado, a fundição fornece rodas ferroviárias de aço microligado e fundidos ferroviários e industriais.

Fonte: Revista Ferroviária – Novembro/Dezembro 2017
Data: 19/01/2018