Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Governo Federal fecha mês histórico com quase R$ 92 bilhões em investimentos em ferrovias #orgulhodeserferroviária #orgulhodeserferroviário

04.10.2021 | | Notícias do Mercado

Na última sexta-feira, 1º, a ABIFER – Associação Brasileira da Indústria Ferroviária, juntamente com suas associadas, realizou, via YouTube, o webinar “Os avanços da indústria ferroviária brasileira”, que contou com a parceria da Secretaria Nacional de Transportes Terrestres do MINFRA.

O evento, que também marcou o lançamento do Canal da ABIFER no YouTube, contou com a participação do secretário nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura, Marcello Costa, e de seu diretor de Transporte Ferroviário, Ismael Trinks.

O encontro virtual apresentou e debateu o desenvolvimento e inovações da indústria ferroviária brasileira, a cadeia produtiva de vagões, locomotivas, trens de passageiros, sinalização, máquinas de construção de via, via permanente, engenharia e serviços, bem como as urgências e a ociosidade que a indústria está enfrentando desde 2019.

Para acessar a transmissão gratuita do webinar, clique aqui. 

Para acessar o material da apresentação, clique a seguir: Apresentação Webinar Abifer_01_10_2021 rev FINAL 

“Este webinar mostrou a pujança da indústria ferroviária brasileira. Esperamos que, não só o Governo, mas também as concessionárias ferroviárias de carga e de passageiros, possam ter elementos para colocar as encomendas necessárias para a indústria, que é o que precisamos para sobreviver. Sentimo-nos realizados ao promover este webinar, que iremos repetir em breve”, afirmou Vicente Abate, presidente ABIFER.

As apresentações das associadas da ABIFER foram divididas por áreas de negócios. Márcia Gomes, diretora de Relações Governamentais, Marketing e Comunicação da Wabtec, apresentou o tema locomotivas e serviços correlatos, Marcelo Prudente de Souza, gerente de Engenharia da Greenbrier Maxion, abordou vagões de cargas e serviços afins, Alexandre Massaki, diretor Comercial da Alstom Brasil, abordou trens de passageiros e sinalização e Petras Amaral Santos, diretor Comercial da Marcopolo Rail, trouxe a apresentação sobre componentes de trens e projetos de trens em desenvolvimento.

As áreas de via permanente e de máquinas de construção de vias foram apresentadas por Sidney De Negris, diretor Comercial da Cavan Pré-Moldados e por Victor Araújo, diretor Executivo da Plasser do Brasil, respectivamente.

Ao final das apresentações, todos os presentes ficaram à disposição e responderam perguntas da audiência ao vivo.

“Dado este pontapé inicial, aqui neste diálogo, a partir de agora vocês vão ter uma interlocução maior, que dê essa previsibilidade e que vocês possam se organizar para fazer frente a essa quantidade absurda que os senhores terão nos próximos anos”, afirmou o secretário Marcello Costa.

“Estejam preparados para os novos desafios, que serão grandes, mas eu tenho certeza que capacidade e competência não faltam à indústria nacional para fazer frente a todos esses investimentos”, concluiu.

Setembro Ferrovário – O mês de setembro de 2021 ficará para a história do país como um período de revolução na logística nacional de transportes. Sob o nome de Setembro Ferroviário, o mês foi de esforço concentrado do Governo Federal, através do Ministério da Infraestrutura, para levar a termo iniciativas capazes de impulsionar a ampliação da malha ferroviária e incentivar o transporte por trilhos de Norte a Sul do Brasil.

O resultado desta primeira temporada de ações não poderia ser melhor. Os investimentos previstos somam R$ 91,972 bilhões e incluem tanto desenvolvimento de novas linhas para o transporte de cargas, cruzando o território brasileiro, quanto mecanismos para garantir a ampliação da oferta de transporte público sobre trilhos para passageiros em grandes centros urbanos como Belo Horizonte (MG) e São Paulo.

A seguir, as principais realizações federais neste mês histórico:

Autorizações ferroviárias

Instituído com a Medida Provisória nº 1.065/2021, o instrumento de outorga por autorização para o setor ferroviário possibilitou a apresentação, a partir de 2 de setembro, de requerimentos de entes privados interessados em construir e operar novas ferrovias no país.

O lançamento do programa federal Pró-Trilhos permitiu o recebimento de 19 pedidos de novas ferrovias – a partir do regime de autorizações –, que estabelecem 5.360 quilômetros de novos trilhos, cortando 12 unidades da Federação. Os investimentos previstos somam R$ 80,5 bilhões.

Ferrovia de Integração Oeste-Leste

No dia 3, com as presenças do presidente da República, Jair Bolsonaro, e do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, foi assinado em Tanhaçu (BA) o contrato com a Bahia Mineração S/A (Bamin) pela concessão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). Leiloada em abril, durante a Infra Week, a Fiol 1 receberá investimentos privados de R$ 3,3 bilhões. Quando estiver pronta, a ferrovia será um corredor de escoamento com 1.527 quilômetros de trilhos, ligando o futuro porto de Ilhéus, no litoral baiano, ao município de Figueirópolis, em Tocantins, ponto em que se conectará com a Ferrovia Norte-Sul (FNS) e o restante do país.

People Mover no Aeroporto de Guarulhos

A assinatura do termo aditivo ao contrato de concessão do Aeroporto de Guarulhos vai garantir a construção e a operação do Automated People Mover (APM), solução 100% automatizada e sustentável para conectar os terminais de passageiros do aeroporto à estação da Linha 13-Jade, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Com investimentos da ordem de R$ 272 milhões, as obras estão previstas para janeiro de 2022. O processo passa por análise do Tribunal de Contas da União (TCU).

Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

No dia 17, com a presença do ministro Tarcísio e do presidente Bolsonaro, foram lançadas as obras do primeiro trecho da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), que terá 383 quilômetros de novos trilhos entre as cidades de Mara Rosa (GO) e Água Boa (MT). O investimento previsto é de R$ 2,7 bilhões, como contrapartida da Vale pela prorrogação antecipada do contrato de concessão da Estrada de Ferro Vitória-Minas (EFVM). A previsão é que a Fico abra 4,6 mil postos de trabalho, diretos e indiretos. A linha férrea possibilitará escoamento da safra produzida no Centro-Oeste até portos das regiões Sudeste e Nordeste.

Planejamento para transporte ferroviário de passageiros

Minfra e Associação Nacional de Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) renovaram por 12 meses parceria para elaboração de uma política nacional de transporte ferroviário de passageiros, de forma integrada e planejada. As iniciativas incluem diagnóstico do Transporte Ferroviário do Brasil, benchmaking das experiências internacionais e plano de desenvolvimento de transportes, com mapeamento de ligações com potencial para implantação de serviços e classificação dos trechos e corredores identificados.

Transporte de cargas no Porto de Santos

O ministro Tarcísio foi à Baixada Santista (SP), no dia 21, ver de perto os projetos ferroviários propostos pela iniciativa privada para aumentar a eficiência do transporte de cargas até o Porto de Santos. A ferrovia da Baixada Santista é administrada pela MRS Logística e será ampliada a partir de 2022, por estar perto do limite de sua capacidade: com oferta para 50 milhões de toneladas/ano, ela já movimenta 45 milhões de toneladas. Serão investidos cerca de R$ 2 bilhões na expansão da ferrovia. O atual contrato vence em 2025: a proposta de renovação antecipada da concessão está sendo finalizada e brevemente será remetida à análise do Tribunal de Contas da União (TCU).

Recursos assegurados para ampliação do metrô de BH

O Setembro Ferroviário foi encerrado nesta quinta-feira (30) com a sanção do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) para as obras do metrô de Belo Horizonte (MG), fundamental ao transporte coletivo de passageiros na capital mineira. A ampliação da linha 1 e a construção da linha 2 do metrô de BH terão investimentos de R$ 3,2 bilhões, sendo R$ 2,8 bilhões da União e outros R$ 400 milhões do governo mineiro, além de investimentos da iniciativa privada após a concessão do transporte.

Fonte: MINFRA