Av. Paulista, 1313 - 8º andar - conjunto 801 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Metrô de SP nega recursos e confirma Consórcio Kobra como vencedor de licitação de portas de plataforma para linhas operadas pela estatal

14.05.2019 | | Notícias do Mercado

A Companhia do Metropolitano de SP publicou no Diário Oficial do Estado desta terça-feira, 14 de maio de 2019, aviso sobre resultado de julgamento de recurso administrativo (fase habilitação/seleção) da concorrência internacional realizada para a contratação de empresa para a elaboração de projeto executivo, fornecimento e implantação de portas de plataforma, simulador de testes e centros de monitoramentos para as linhas metroviárias operadas pela Estatal, a saber as linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha.

De acordo com o comunicado, “foi negado provimento aos recursos administrativos interpostos pelos licitantes Consórcio PSD-SP, Consórcio TELAR/SERVENG/DONGWOO e Consórcio GILGEN-ZUMM”.

decisao_porta_plataforma

Desta forma, a Companhia do Metropolitano ratificou a decisão publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo em 23 de março de 2019, que habilitou e selecionou o Consórcio Kobra formado pelas empresas Husk Eletrometalurgica Ltda., MG Engenharia e Construção Ltda, Samjung Tech Co Ltda e Woori Technology Inc.

O Metrô fez a licitação de 88 portas para as três linhas sob responsabilidade da Companhia. Como noticiou o Diário do Transporte em fevereiro deste ano, o presidente da estatal metroviária, Silvani Alves Pereira, afirmou que existem garantias no edital e regras prevendo multas para a empresa, caso haja atraso ou algum problema nas obras.

A instalação de portas de plataforma em uma via que está em funcionamento é uma logística difícil. Temos que fazer obras de engenharia, obra civil na base da plataforma para depois colocar a porta e isso só podemos fazer entre 1h e 4h da manhã. Vamos tentar, durante a época, fechar algumas estações durante final de semana e feriado para agilizar a instalação das portas”, disse Pereira.

A licitação foi lançada em setembro de 2018, conforme noticiado pelo Diário do Transporte.

As estações que devem receber os equipamentos são:

Linha 1-Azul – (46)

Parada Inglesa – 2

Jardim São Paulo – 2

Santana – 2

Carandiru – 2

Portuguesa-Tietê – 2

Armênia – 2

Tiradentes – 2

Luz – 4

São Bento – 2

Sé (plataformas das linhas 1-azul e 3-Vermelha) – 4

Liberdade – 2

São Joaquim – 2

Vergueiro – 2

Paraíso (plataformas das linhas 1-Azul e 2-Verde) – 2

Ana Rosa (linha 1-Azul) – 2

Vila Mariana – 2

Santa Cruz – 2

Praça da Árvore – 2

Saúde – 2

São Judas – 2

Conceição – 2

 

Linha 2-Verde – (4)

Consolação – 2

Paraíso – 2

 

Linha 3-Vermelha – (38)

Marechal Deodoro – 2

Santa Cecília – 2

República – 4

Anhangabaú – 2

Praça da Sé – 4

Pedro II – 2

Brás -4

Bresser-Mooca – 2

Belém – 2

Tatuapé – 4

Carrão – 2

Penha – 2

Guilhermina-Esperança – 2

Patriarca – 2

Artur Alvim – 2

Total = 88

Segundo o Metrô, as novas estações já são projetadas para receberem o equipamento e algumas linhas do sistema já possuem portas de plataforma.

“As novas estações já são projetadas pelo Metrô preparadas para receberem esses equipamentos. Atualmente, todas as 9 estações da Linha 4-Amarela, construídas pelo Metrô, assim como as estações Vila Matilde (Linha 3-Vermelha), Adolfo Pinheiro (Linha 5-Lilás), Vila Prudente, Tamanduateí e Sacomã (Linha 2-Verde), além das 6 estações em funcionamento na Linha 15-Prata, já têm esse tipo de porta nas plataformas.”

 

Fonte: Diário do Transporte

Data: 14/05/2019