Av. Paulista, 1313 - 8º andar - conjunto 801 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

MRS prevê transportar 20% mais neste semestre

03.08.2007 | | ABIFER News

Novos contratos de cargas e aumento no transporte de minério de ferro e grãos devem incrementar as operações da MRS Logística em pelo menos 20% neste semestre, alcançando 70 milhões de toneladas, comparado ao volume obtido de janeiro a junho. Conforme Júlio Fontana Neto, presidente da concessionária de ferrovias, a Siderúrgica Nacional (CSN) está com um programa de exportações a partir do porto de Itaguaí que pode atingir 7 milhões de toneladas, iniciado em fevereiro. A Vale do Rio Doce também vem ampliando embarques nos portos de Sepetiba e Guaíba. Em grãos, a MRS vem ampliando o transporte de milho e açúcar, além de soja, para exportação do interior de São Paulo via porto de Santos. Essas cargas são captadas na região de Pederneiras, em terminais junto à Hidrovia do rio Tietê. “Nossa expectativa é fazer mais de 1 milhão de toneladas este ano, quase o dobro comparado ao volume de 2006“, diz Fontana. No primeiro semestre, conforme balanço operacional e financeiro divulgado ontem pela empresa, foram transportadas 59 milhões de toneladas. Esse volume representou incremento de 11,4% em relação ao mesmo período de 2006. Na época, o desempenho foi afetado pelo acidente no alto-forno da CSN, que demandou menos minério de ferro oriundo de Casa de Pedra e carvão, que é 100% importado. O resultado da MRS apontou crescimento de 13% na receita bruta do segundo trimestre, que subiu para R$ 623 milhões, em relação a um ano atrás. O lucro líquido, de R$ 138,3 milhões, foi 21% maior. E o resultado operacional teve alta de 12%, alcançando R$ 252 milhões. De abril a junho, a empresa transportou 31,2 milhões de toneladas. “Em julho, o volume já superou 11 milhões de toneladas e a expectativa é que agosto será um mês melhor ainda“, informou o executivo. De janeiro a junho, a empresa obteve receita líquida de 1,017 bilhão, com alta de 15% sobre um ano atrás, e lucro líquido de R$ 259,8 milhões, 22% maior. Os números da concessionária, , são positivos e crescentes desde 2003. A margem do resultado operacional (Lajida) no período foi de 47,5%. A concessionária foi criada em 1996, a partir de privatização da malha Sudeste da RFFSA, e tem como principais acionistas CSN, Usiminas, Vale do Rio Doce e Gerdau. Os sócios são os maiores usuários da ferrovia, cujos trilhos, num percurso de 1,7 mil quilômetros, cortam os Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo e atingem os portos do Rio, de Itaguaí/Sepetiba e de Santos. Segundo Fontana, neste semestre a empresa vai engordar ainda mais sua frota de locomotivas e vagões. “Estão chegando este mês mais dez máquinas zero km da GE e entre outubro e novembro cerca de 400 vagões“. Esse material rodante irá ajudar no cumprimento da meta de 130 milhões de toneladas neste ano. Para 2008, cujo planejamento prevê transporte de 150 milhões de toneladas, mais 15 locomotivas modelo GE desembarcam dos EUA e mais de 500 vagões na virada de 2007. O lote será encomendados ainda neste ano.