Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Projeto pode atrapalhar linha para Cumbica, diz secretário

31.07.2007 | | ABIFER News

O secretário de Transportes de São Paulo, José Luiz Portella, disse que vai estudar se o projeto de uma ligação por trem-bala entre Rio e São Paulo poderia “atrapalhar“ a linha expressa para o aeroporto de Cumbica. O trem-bala entraria na capital paulista em trajeto subterrâneo de 10 km. “Estão prevendo entrar [na cidade] por um trecho que é nosso, [o] do [metrô da] Luz. O importante é que eu estou sabendo porque outros me contaram. Só com a diretriz de projeto eu posso saber exatamente o que eles pretendem. A princípio, se for entrar pela Luz, atrapalha o [trajeto] que seria usado pelo Expresso Aeroporto [ligação subterrânea entre a Barra Funda e Cumbica]“, afirmou Portella. Comissão O secretário anunciou ontem, no Rio de Janeiro, a criação de uma comissão com a participação dos dois governos estaduais para tratar do projeto do trem-bala junto ao governo federal e ao BNDES. Na quinta-feira, a empresa italiana Italplan apresenta ao governo paulista o projeto básico do trem de alta velocidade, que já mostrou aos governo federal e do Rio. No dia 29, numa reunião no Palácio Bandeirantes, os governadores José Serra (PSDB) e Sérgio Cabral (PMDB) deverão assinar acordo com o governo federal e o BNDES. Portella e Júlio Lopes, secretário de Transportes do Rio, disseram que os governos dos dois Estados ainda não haviam sido consultados sobre a obra do trem rápido para ligar as duas capitais. Para Lopes, o projeto apresentado no dia 24 pela Italplan ainda tem que ser analisado pela Supervia, que administra os trens urbanos do Rio, para ver se há alguma incompatibilidade como a citada por Portella na chegada à estação da Luz. “Vamos estudar quais são os pontos comuns entre os dois Estados. Há várias oportunidades de colaboração mútua“, disse Portella, que visitou as obras de expansão do metrô carioca até Ipanema, na zona sul da cidade. O projeto da empresa italiana prevê investimentos privados de cerca de R$ 17 bilhões para as obras. O tempo de viagem previsto é de 88 minutos. Cada trem terá capacidade para até 855 passageiros divididos por 14 vagões. Expresso O secretário paulista disse que o BNDES vai financiar a parte privada do expresso para o aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande São Paulo), que tem o custo previsto de R$ 1,2 bilhão. “O BNDES já demonstrou boa vontade em financiar, mas o valor total financiado pelo banco vai depender das condições do [financiamento] privado. A empresa vai dar as condições e eles analisam.“