Av. Paulista, 1313 - 8º andar - conjunto 801 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Skaf promete entregar 50 km de Metrô após visitar obra da Linha 17-Ouro

14.09.2018 | | Notícias de Mercado

O candidato ao governo de São Paulo, Paulo Skaf (MDB), prometeu entregar 50 km de Metrô, caso seja eleito. A promessa foi feita na manhã desta quinta-feira (13), quando o emedebista caminhou pela avenida Jornalista Roberto Marinho para ver a obra da Linha 17-Ouro do Monotrilho.

“As obras aqui em São Paulo atrasam muito. Por isso que no primeiro mandato eu pretendo terminar todas essas obras. Serão 20 km de monotrilho e 30 km de metrô, 50 km”, disse.

Questionado se há dinheiro suficiente para cumprir a promessa em quatro anos, o candidato disse que sim porque todas as obras já têm “sua equação financeira”.

“Nós vamos fazer mais do que algumas décadas aí foram feitas. São obras que estão paralisadas ou muito lentas ou projetos que existem que estão iniciando. Nós vamos pegar tudo isso e melhorar dando conforto e melhorando essa rede de mobilidade em São Paulo”, afirmou.

Sobre obras paradas por causa de investigações da Operação Lava-Jato, disse que vai fazer nova licitação. “Ou alguma forma legal que seja o mais rápido possível. O que acontece é que está parado e nada acontece, onde tiver projeto em andamento nós vamos terminar“, afirmou.

Linha 17- Ouro

O monotrilho vai ligar o Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul da capital, à Linha 9-Esmeralda da CPTM. Até agora, nenhuma estação foi inaugurada.

Em 2010, quando o estádio do Morumbi estava cotado para sediar os jogos do Mundial, a linha chegou a ser prometida para antes da Copa de 2014.

Isso mudou quando foi definido que a Arena Corinthians seria o palco das partidas em São Paulo. Com isso, a construção da linha sofreu alterações, como a entrega das obras em três etapas.

Em 2012, o então governador Geraldo Alckmin (PSDB) prometeu entregar a primeira etapa, ligando o aeroporto até a Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), até 2014.

Os valores, por outro lado, aumentaram. Inicialmente, a obra foi orçada em R$ 1,39 bilhão. Agora, deve chegar a R$ 3,5 bilhões.

Nos últimos quatro anos, investigações foram abertas a pedido dos ministérios públicos federal (MPF) e estadual (MP) pela falta de um projeto básico.

O Metrô teve problemas com os consórcios contratados, paralisando as obras por seis meses. As obras sofreram vários questionamentos do Tribunal de Contas do Estado (TCE), sendo que um deles está relacionado ao avanço do custo.

Ataque na Campanha

Skaf comentou a estratégia de seu adversário João Doria (PSDB) de associá-lo ao presidente Michel Temer (MDB), que tem má avaliação de governo nas pesquisas de opinião. “Desespero de quem enganou uma vez o povo de São Paulo já sentiu que não vão conseguir enganar uma segunda vez”, disse.

Fonte: G1
Data: 13/09/2018