Av. Paulista, 1313 - 8º andar - conjunto 801 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Transporte de contêineres pela MRS avança

31.08.2018 | | Não categorizado

O transporte de contêineres, especialmente na rota Belo Horizonte-Rio de Janeiro, pela MRS Logística, com sede em Juiz de Fora (Zona da Mata), está crescendo vertiginosamente. Os motivos, segundo a empresa, são o custo das tarifas 15% a 25% mais barato quando comparado ao modal rodoviário; maior segurança; e o transporte por ferrovias menos poluente que por caminhões.

De acordo com o gerente Comercial da MRS, Rodrigo Carneiro, o volume de cargas transportadas em contêineres na rota BH-Rio registrou um salto de 112% no primeiro semestre deste ano, quando comprado ao volume dos mesmos meses de 2017. “Nessa rota, a carga transportada com maior participação são produtos siderúrgicos, como fio máquina e bobinas, mas também transportamos utensílios domésticos, produtos importados da China, parafusos e cargas a granel, como rações e farinhas”, detalhou.

Carneiro acrescentou que, de forma geral, em todos os corredores ferroviários da concessionária, as composições de contêineres transportam produtos eletrônicos, peças automotivas e grãos, além dos itens mais comuns na rota BH-Rio.

O crescimento do uso dos contêineres nos transportes realizados, conforme o gerente, é justificado por alguns motivos, entre eles, o menor custo quando comparado ao do modal rodoviário.

“As tarifas são de 15% a 25% mais baratas que por rodovias. Além do custo ser menor, a segurança operacional tem índices praticamente nulos de ocorrências e existe ainda a capacidade de transportar grandes volumes, o que elimina filas nos portos e, com isso, outros custos indiretos”, explicou o Carneiro.

Ainda de acordo com o gerente, a emissão de poluentes no transporte ferroviário é menor do que no rodoviário, o que vem ao encontro do apelo sustentável e de redução do impacto ambiental de muitas empresas. Outro fator que colaborou para impulsionar o transporte em linhas férreas da MRS por contêineres foi a greve dos caminhoneiros, que segundo Carneiro, provocou “a redescoberta das ferrovias”.

Recorde – A participação dos contêineres em tudo que a concessionária transporta está tão aquecida que, nesta semana, a MRS rodou o maior trem de contêineres da sua história, com 110 contêineres na rota BH-Rio, do porto de Sepetiba, no litoral fluminense, até o terminal da Tora, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

“Nos costumávamos fazer essa rota em três, quatro dias, desde o carregamento até a descarga, e, agora, com esse trem de horários e partidas definidas e desse tamanho, eliminamos várias paradas e estamos gastando dois dias”, completou o gerente da concessionária.

Antes, a composição de contêineres que fazia a rota costumava ter de 50, 60 ou até 90 contêineres, e, na semana passada, a MRS já havia batido o recorde com um trem de 104 vagões. A composição ganhou o nome de trem expresso. Isso significa que ela é dedicada, exclusivamente, a cargas conteinerizadas, não faz paradas intermediárias e tem horários de partida e chegada predefinidos.

Fonte: Diário do Comércio
Data: 31/08/2018