Av. Paulista, 1313 - 8º andar - conjunto 801 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Investimentos da indústria vão criar 5 mil empregos

14.02.2020 | | Notícias do Mercado

Previsão é otimista após ano ruim em 2019. Chances serão abertas este ano, sobretudo nas áreas de petróleo, construção e metalurgia

 

Foto: Divulgação

A projeção para o crescimento da indústria capixaba em 2020 é positiva, com a criação de mais de 5 mil postos de trabalho. A previsão é do presidente da Federação das Indústrias Capixabas (Findes), Leonardo de Castro.

“Em 2019, criamos perto de 3 mil vagas diretas. Nossa perspectiva é muito melhor para 2020. Acreditamos na criação de mais de 5 mil postos de trabalho na indústria. Na região Norte do Estado, o mercado está mais aquecido, em especial no município de Linhares, com o volume de investimentos industriais anunciados.”

Os setores que vão concentrar as contratações são os de petróleo e gás, metalmecânico, de construção civil e de laticínios e frigoríficos, segundo o coordenador do Fórum Capixaba de Petróleo e Gás da Findes, Durval Vieira de Freitas.

“A perspectiva é de que a siderurgia se normalize. Teremos a volta da Samarco, um melhor desempenho da Vale, entrada da plataforma P61 no Jurong. A indústria frigorífica também vem com uma evolução grande, e o café tem uma tendência de seguir evoluindo bem.”

Se, em 2019, a produção industrial no Estado teve queda de 15,7%, a perspectiva para 2020 é melhor, devido a diversos fatores. Na área de celulose, por exemplo, que apresentou a maior retração no ano passado, de 35,8%, o cenário internacional de demanda represada tende a aquecer.

Além disso, no Estado, foi criada uma comissão para dar agilidade à análise dos processos de licenciamento para o plantio de novas florestas de eucalipto. Já no setor da mineração, a expectativa positiva é puxada pela retomada das atividades da Samarco, no segundo semestre deste ano, além do retorno da extração de minério pela Vale, que teve queda de 18% na produção de pelotas em 2019.

“O retorno da Samarco, por si só, é um grande evento. A grande crise da mineração em Minas Gerais, que alimenta o nosso sistema de produção, foi ultrapassada. A companhia está retomando os seus níveis de produção, especialmente, na mina Brucutu” destacou Castro.

Economista chefe da Findes, Marcelo Saintive destacou que a situação fiscal do Estado também favorece o aquecimento da economia. “O Espírito Santo tem mais chance de sair na frente na retomada da economia, porque a organização fiscal nos dá uma capacidade maior de crescer”.

 

Privatizações e obras em rodovias entre os projetos

Os investimentos previstos para o Espírito Santo são diversos, tanto nas indústrias tradicionais, como de mineração e celulose, quanto na atração de novas indústrias para construírem suas fábricas no Estado. A projeção é chegar a R$ 62,4 bilhões em investimentos industriais e de infraestrutura no Estado até 2023.

“Temos perto de R$ 1 bilhão em investimentos nas rodovias estaduais e em mobilidade urbana pelo governo do Estado, as privatizações da Codesa – que o modelo ainda será decidido –, a concessão da BR-262 e, agora em março, sai o licenciamento para as obras de duplicação da BR-101 para o Norte”, detalhou Léo de Castro, presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes).

Outra expectativa é em relação à ferrovia Litorânea-Sul, que aguarda análise do Tribunal de Contas da União (TCU). “É um investimento bilionário, importantíssimo, precisamos que ele aconteça logo”, disse Castro. Na próxima semana, haverá um encontro em Minas Gerais para uma agenda conjunta dos dois estados. Entre os tópicos que serão debatidos, está o projeto da ferrovia para o Sul do Espírito Santo.

 

Fonte: Tribuna Online

Data: 12/02/2020