Av. Paulista, 1313 - 9º Andar - Conjunto 912 (11) 3289-1667 abifer@abifer.org.br
pt-bren

Primeiro encontro das associadas ABIFER com a BAMIN

10.06.2021 | | ABIFER News

Na manhã da última terça-feira, 8, a Bahia Mineração – BAMIN, que atua no Brasil há mais de 15 anos e vencedora do leilão do primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol 1), de 537 quilômetros, que ligará Ilhéus a Caetité, na Bahia, reuniu-se virtualmente com as associadas da ABIFER – Associação Brasileira da Indústria Ferroviária e do SIMEFRE – Sindicato Interestadual da  Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários, além de outros convidados, com a expressiva audiência de quase 70 técnicos do setor ferroviário.

Durante o encontro, Gustavo Cota, gerente-geral de Planejamento e Estratégia da BAMIN, apresentou os planos de trabalho e investimentos da mineradora. Cota destacou que o projeto principal da BAMIN é o depósito de minério de ferro, próximo a Caetité, que possui 562 milhões de toneladas em reservas, comprovadas por mais de 60 Km de sondagem. Hoje, a mina produz um milhão de toneladas/ano, que é escoada via ferrovia pela VLI, e que chegará a dois milhões de toneladas/ano em 2022 e depois a 18 milhões de toneladas/ano. “É fundamental uma logística para esse volume”, destacou.

A Fiol 1 terá capacidade para escoar 60 milhões de toneladas/ano, enquanto o Porto Sul terá capacidade de 40 milhões de tonelada/ano. Cota informou que a BAMIN utilizará menos de um terço da capacidade de transporte da Fiol e metade do Porto Sul, e que tanto a ferrovia quanto o porto deverão ser utilizados para o transporte de outros produtos, seja do agronegócio e mesmo fertilizantes no sentido importação. “Será um corredor logístico de alta eficiência para o minério de ferro e outros produtos”, comentou.

A previsão da BAMIN é de que ferrovia e porto estejam operando em cerca de 5 anos, em 2026. Cota lembrou que a Fiol 1 está em estágio avançado de obras, com 75% concluídos.  A estimativa de investimentos da mineradora é de 5,4 bilhões de reais nos 35 anos de concessão. “Está prevista também a instalação de vários terminais ao longo da ferrovia, a começar por Caetité para receber grãos de Barreiras e região”, pontuou o executivo.

A empresa planeja investimentos em material rodante a partir de 2024. Para a primeira fase, está prevista a aquisição de 16 locomotivas e cerca de 1.100 vagões para minério de ferro. Segundo ele, o minério de ferro da mina Pedra de Ferro é de elevado teor de ferro (65 a 68%). Cota destacou que a BAMIN está aberta a trabalhar junto aos fornecedores nacionais para o desenvolvimento de projetos inovadores e tecnológicos que atendam à sua demanda. “Somos apaixonados por tecnologia e inovação e agora temos a oportunidade de montar um parque de equipamentos do zero e vamos buscar essa inovação”, ressaltou.

Também foi destacado pelo executivo a intenção de disponibilizar um cadastro de novos fornecedores, que será compartilhado com as associadas da ABIFER e do SIMEFRE.

Para Vicente Abate, presidente da ABIFER, “o encontro virtual com a BAMIN, primeiro de uma série envolvendo as demais operadoras ferroviárias de carga e de passageiros, foi uma excelente oportunidade para estreitar o relacionamento entre nossas associadas e a nova concessionária, conhecer suas necessidades e oferecer-lhe produtos e serviços com elevado nível de tecnologia e inovação”.

 

Conteúdo elaborado em parceria: ABIFER e GBMX